Com o decorrer da década de 2010, cada vez mais pessoas se interessam por criptomoedas, assim, mais criptoativos aparecem como novas maneiras de investimento. Segundo pesquisa feita pelo site inglês Statista, que fala sobre diversos aspectos do setor financeiro, a quantidade de criptoativos existentes cresceu em cerca de 16.000%.

Enquanto em 2013, existem cerca de 66 criptomoedas, mundialmente são reconhecidos hoje mais de 10.000 ativos desse gênero, sendo que grande parte do público não deve conhecer nem um terço desses criptoativos, uma vez que são dos mais variados tipos e para diversas finalidades diferentes.

De fato, com essa crescente no número de criptomoedas promissoras, alguns desses ativos podem acabar se tornando grandes perdas financeiras para seus investidores, uma vez que as moedas podem se desvalorizar muito rápido, tornando determinada operação um fracasso.

Pensando nisso, com a quantidade de criptomoedas surgindo nos últimos anos, separamos os três criptoativos mais relevantes para o ano de 2022, são elas: Chainlink, Helium (HNT) e a Polygon (Matic).

Nesse ínterim,o especialista em criptomoedas, Bruno Pamplona, criou um modelo de estudo para reconhecer quais as melhores oportunidades de investimentos em criptoativos.

Projeto Sniper Cripto, de Bruno Pamplona: Lucre com criptoativos do Metaverso

O projeto tem este nome como simbologia, comparando a forma de entrada do mercado ao de um atirador de elite, conhecido também como sniper.

Conforme o próprio Bruno Pamplona explica, o atirador de elite se prepara, busca o melhor posicionamento e analisa todo o terreno, para conseguir observar seus alvos até o momento do disparo, além de saber como se retirar em segurança de sua missão. E, basicamente, no método ensinado pelo especialista se planeja da mesma forma que um sniper.

A ideia do método é utilizar de meios estratégicos e certeiros para ter o maior rendimento possível no mercado de criptomoedas. Segundo o especialista, após conseguir identificar de maneira convicta quais as melhores escolhas no mercado de maneira autônoma.

Como iniciar no projeto?

O método deve iniciar analisando primeiramente a solução que o projeto propõe para um problema específico, e se esse empecilho realmente existe. Para isso, devemos utilizar o whitepaper, que é o documento que traz todo o detalhamento do projeto.

O investidor deve focar também no roadmap, um cronograma de entregas do projeto, e dessa forma, entender se as entregas estão sendo feitas em tempo. Além disso deve-se observar se existe uma expectativa que as atualizações do empreendimento sejam entregues dentro do prazo. Além disso, deve-se procurar uma comunidade ativa e uma demanda na compra do criptoativo desse projeto, para analisar se vale a pena ou não o investimento no projeto.

Bruno Pamplona também avalia os tokenomics, também conhecidos como token economics, que são a forma e a quantidade na qual os tokens são criados ou destruídos, e se existe uma saúde econômica na proposta da criação e destruição dos itens.

Por fim, avalia-se uma demanda de adoção da tecnologia criada, afinal de contas, a aceitação do projeto é o que define o preço, ou seja, quanto mais pessoas interessadas, o produto acaba valorizando, caso contrário, o valor diminue por conta da baixa adesão.

As 3 principais criptomoedas de 2022

Como já citado anteriormente, existem diversas criptomoedas sendo criadas dia após dia, é necessário avaliar bem as formas de se entrar numa operação de compra e venda dos ativos, dessa forma, Bruno Pamplona analisou e selecionou os três principais criptoativos do ano de 2022, e nós iremos explicar o que são elas para você:

No método utilizado no estudo, Bruno Pamplona utilizou análises, diversificação das criptomoedas e estratégias. Para não ficar de fora e não observar os bons projetos, sempre considerando suas principais características e o momento certo para se expor.

Cuidado com criptomoedas que parecem mais promissoras que a realidade

Alguns projetos podem colocar diversos tokens em circulação, fazendo com que o valor fique abaixo por um determinado período. Além disso, pode ocorrer altas em criptomoedas novas por conta da baixa quantidade de investidores que compram o ativo, fazendo variações em grande escala.

Um exemplo de criptomoeda que não era promissora é a Vira-lata Finance (REAU), um ativo brasileiro que após seu lançamento valorizou em cerca de 56.305%. Não demorou para que o interesse caísse e o preço despencasse, fazendo com que a moeda custe menos de US$ 1,00.

Por fim, salientamos que antes de qualquer investimento, são necessários estudos e análises, para saber determinar se vale a pena ou não investir na criptomoeda.

Gostou do conteúdo? Acesse nosso canal no YouTube para não perder nada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *